Grávida de 36 semanas, aluna da CityVida mantém treinamento físico durante toda a gestação

Publicado em 26 de novembro de 2018

Camila Campos Colares Botelho, de 36 anos, planejou a gravidez e sempre projetou a prática da Musculação e do Pilates para vivenciar o período sem dores

A psicanalista Camila Campos Colares Botelho, de 36 anos, já sofreu com dores na lombar antes da gravidez. Quando ainda morava em Belo Horizonte (MG), passou por um quadro de possível hérnia de disco, que foi tratado com sessões de fisioterapia. Em Ribeirão Preto desde maio de 2016, a aluna da CityVida, hoje grávida de 36 semanas, planejou a prática das atividades físicas para vivenciar a gestação em sua plenitude, com o acompanhamento de uma equipe multidisciplinar.

Por também ter atuação na área da saúde, Camila Botelho sempre buscou informações sobre exercícios físicos na gravidez e afirma que isso norteou suas tomadas de decisão. “Eu nunca tive medo de praticar atividades físicas por causa da gravidez. Minha maior preocupação foi em ter o corpo preparado antes mesmo de estar grávida, e que atividade física fosse parte da minha rotina”, destaca.

Nos meses que antecederam o resultado positivo, a aluna treinava em média seis dias por semana, com início na musculação em fevereiro de 2017 e, em seguida, no Pilates. Já na primeira avaliação física realizada pela equipe multidisciplinar da CityVida, Camila conta que explicou o projeto de engravidar e que recebeu todo o apoio dos profissionais. “A equipe CityVida sempre foi muito atenciosa e preparou o treinamento adequado para as minhas necessidades, desde o início estou tranquila e satisfeita com o acompanhamento dos professores”, afirma.

Segundo Camila, com a gravidez, a prescrição dos exercícios foi sendo alterado constantemente, com foco na sua saúde e do bebê. “No primeiro trimestre, que geralmente é delicado por causa do risco de aborto, recebi um treinamento especial, com maior utilização do meu próprio corpo e alguns aparelhos, mas com carga reduzida”, diz.

Equipe Multidisciplinar
O coordenador de fitness da CityVida, Marcel Juliani, explica que na gravidez ocorrem importantes alterações posturais e hormonais. De acordo com o profissional, a mulher vai sentir mais cansaço, aumentar o porcentual de gordura, além de ter dilatação abdominal, inchaço nos pés e nas mãos, aumento das mamas e alteração no centro de gravidade. “É preciso avaliar diariamente a aluna gestante devido as frequentes alterações corporais e precisamos agir rápido para promover adequações no treinamento”, explica.

Segundo Marcel, uma equipe multidisciplinar com profissional de educação física, médico obstetra e nutricionista vai garantir uma gravidez saudável e um corpo mais preparado. “O profissional que vai prescrever os exercícios precisa estar atento. A mulher não deve executar, por exemplo, movimentos que exerçam pressão uterina, por isso, treinar sem acompanhamento pode se tornar um risco”, destaca.

E o profissional alerta: grávidas sedentárias devem iniciar um programa de treinamento de forma menos intensa comparada às gestantes que já treinam, sempre com acompanhamento especializado.

Uma das fisioterapeutas da CityVida, Natália Campos Barbosa é professora de Pilates de Camila Botelho e também explica que o treinamento da modalidade é alterado conforme a fase da gestação. “É importante readequar para trabalhar mobilidade da coluna, fortalecimento do assoalho pélvico e a mobilização do quadril. As limitações com relação aos exercícios surgem com a evolução da gravidez e a evolução dos treinamentos deve seguir o mesmo ritmo”, destaca Natália.

Parto normal
Camila Botelho deseja muito o parto normal e a aluna tem trabalhado movimentos que auxiliam na realização de mais esse sonho. “Sempre soube que o parto normal exige muito do corpo da mulher e que alguns exercícios podem me auxiliar. Sendo assim, tanto no Pilates quanto na musculação, o meu esforço vem sendo direcionado para esse objetivo”, conta.

A aluna CityVida está feliz com os resultados dos seus treinamentos e afirma que ainda não sofreu qualquer dor lombar ou outras intercorrências na gravidez e acredita que esse bem-estar vem, principalmente, de sua rotina ativa e saudável. “O dia que não faço atividade física, me sinto mais inchada. Além da prática das atividades, o espaço da CityVida tem sido bastante acolhedor. Sinto essa acolhida dos funcionários e alunos. Constantemente sou abordada por alunos que dizem se inspirarem na minha rotina de atividades na gravidez”, finaliza.

VOLTAR